Make your own free website on Tripod.com
 


O guitarrista, compositor e arranjador,
Cado, além de ser um músico virtuoso, é extremamente criativo. Espero que você leia com muita atenção este texto para descobrir o talento impressionante desse jovem.

Cado está revolucionando os currículos de Escolas e Universidades do mundo todo com compasso invertido. Há mais de um século que se pensa que não existe outra forma de compasso além de compasso em 2, 3, 4, 5 e 7. Músicos contemporâneos tentam inovar fazendo compassos em 6, mas sempre soam como dois compassos de 3 juntos. Cado descobriu novas formas, compassos em 4.5, 5.5, 6.5 e 7.5, possibilitando formas como 4.25, 5.25, 6.25 e 7.25 ou 4.75, 5.75, 6.75 e 7.75.

Como escrever:

Exemplo 1 Exemplo 2
exemplo1.gif (1463 bytes) exemplo2.gif (1499 bytes)
Para os outros, é só seguir a mesma regra.

Nenhuma escola será completa sem o compasso invertido no currículo.

Até hoje, os músicos improvisaram apenas melodicamente. Cado criou o improviso harmônico, sendo bastante otimista que para o futuro as pessoas estudem e improvisem tanto harmônica quanto melodicamente.

Nenhum improvisador-harmonizador será completo sem improvisar harmônicamente.

Em breve Cado lançara um livro entitulado "Século XX", onde serão fornecidas maiores explicações acerca de compasso invertido, improviso harmônico, harmonia atonal, bem como técnicas de estudo.

Música é 20% treinamento, 20% cultura e 60% iluminação do gênio criador do artista. Treinamento e cultura pode ser adquirido nas escolas e universidades de música.

Para que todos tenham idéia de quanto este artista é importante para a música, é necessário falar um pouco sobre história da música. Música era somente melódica, tendo surgido primeiramente no âmbito vocal, compassos em 4 (natural). A matemática construiu a primeira escala e com o tempo, as pessoas foram descobrindo as relações tonais e outras escalas. Nessa época de música apenas melódica, os músicos passaram a compor contrapontos com 2, 3 ou mais melodias tocadas ao mesmo tempo, chegando à polifonia de até 60 vozes. Isso se deu no período barroco. Bach percebendo uma relação entre as notas quando eram tocadas ao mesmo tempo, descobriu a harmonia (mas antes disso, Debussy já harmonizava, mas não se guiava pela força atrativa das notas, usava uma outra técnica). Assim, a música, que era somente horizontal, passou a ser também vertical. A partir daí, foram se fazendo descobertas harmônicas como os sete acordes da tonalidade, acordes de empréstimos de outras tonalidades e modulações. Encontramos tais descobertas em compositores como Mozart, Tchaykovsky, Chopin e outros.Mozart, levou essas descobertas ao extremo, de maneira que, no que diz respeito à   harmonia funcional, tudo já se conhecia.

Os primeiros compassos foram em 4, 2, 3, 5 e 7, quaternários e depois os binários, ternários e alternados. Esses grandes artistas do passado já haviam descoberto tudo a nível de compasso (menos os invertidos) até o final do século XIX.
Teoria musical consiste nas descobertas existentes nos livros e apostilas. Música não é como ciência, que talvez não tenha fim; se tiver, falta ainda muito para se chegar lá. É certo que as descobertas na música têm fim, bem como é verdade que a maioria das pessoas mais intelectualizadas acredita  que as descobertas já chegaram ao fim. No entanto, ainda existe muito para ser criado, uma vez que as combinações matemáticas são tão vastas que podemos criar muitas músicas por milhares de anos, sem contar que a ação do tempo faz com que quase tudo seja esquecido. Criaremos música por toda a eternidade. Isso nunca chagará ao fim.

No que diz respeito a descobertas, estamos chegando ao fim e Cado pode ser considerado o último passo.

- Cado é o único músico do Brazil e das Américas a ter feito alguma descoberta musical e o único do século XX, compartilhando desse privilégio somente com músicos como Mozart, Bach e Ravel.

Muitos músicos continuam tentando e os currículos das universidades continuam os mesmos, por que nada se descobre de novo na música.

Cado foi precursor no estilo Pop Jazz Brasileiro, que mistura o som da musica pop, improvisio do Jazz e o que o Brasil tem de melhor, que são ritmos como: samba, baião, afoxé e outros.

Até esse momento, nenhum dos músicos que trabalham com harmonias híbridas (Chick Corea, Quincy Jones, Weather Report e outros )usaram segundas vozes, porque inevitavelmente pegaria a terça (nota que define se o acorde é maior ou menor ).Sempre acharam que esse tipo de harmonia não são para segundas vozes. Dentro das escolas e universidades de musica, também sempre disseram o mesmo. A partir desse momento, esse pensamento vai mudar.

Quando o Cado tinha 20 anos de idade, desenvolveu uma técnica para resolver esse problema e usou segundas vozes em híbridos com bastante tranqüilidade.

Antes de falar como usar segundas vozes em híbridos, é importante falar sobre segundas vozes em geral.

Obviamente, os músicos vão escolher qual o intervalo que vai ser usado. O intervalo de 8a , 5a e uníssono, não devem ser usados, porque tende a sumir. Os intervalos de 9as ,4as e 7as , não devem ser usados porque existem outros melhores. Os intervalos bons, por serem mais bonitos, são os de 10as (terças uma oitava acima) e os de 6as . Quando forem adaptados ao acorde, será ora 10 menor ;ora 10 maior ou ora 6 menor ;ora 6 natural. Dessa maneira serão menos ásperos. Quando o musico for escolher um intervalo fixo, deve escolher o de 10 menor ou de 6 natural, porque são melhores. Dessa maneira serão mais ásperos, mas podem ser usados sem problema. Os intervalos de 10as , tem efeito bem bonito quando são usados com piano flauta, os de 6as ,tem um efeito bonito com baixo e guitarra. Guitarra e trumpete fica bem ruim. As outras combinações não só podem como devem ser esprimentadas pelas pessoas.

Segundas em Híbridos

Devemos, primeiramente, selecionar o lugar onde vai entrar a segunda voz. Geralmente entra na ultima parte antes e terminar a musica. Sendo assim, poderíamos, simplesmente, observar qual a nota que a melodia principal não pega, veríamos qual o intervalo que quando aquela nota está sendo tocada, a segunda voz estará na terça, usaríamos esse intervalo, como a melodia principal não pega essa nota, a terça nunca vai aparecer na segunda voz. Se escolhermos o intervalo de 6a, a nota que não pode aparecer na melodia principal é a 1 ( quando for adaptada ao acorde ) ou a 1 e a 9 bemol (quando 6a natural ).Se escolhermos o intervalo de 10a, a nota será a 5 ( quando for adaptada ) ou a 5 e a 11 sustenido ( quando for a 10a menor).

Quais acordes escolher :

1-Podemos transformar esse acorde híbrido em acorde comum, que dentro daquela mistura normalmente feita de híbridos e acordes comuns, não vai mudar em nada o efeito dessa harmonia híbrida.

2-Podemos transformar o híbrido em acorde comum e fazer ele quartal, porque os quartais combinam bem com os híbridos.

3- Podemos escolher um outro acorde híbrido.

4-Podemos escolher um outro acorde, só que comum, faze-lo quartal ou não.

É importante ter em mente, que na musica moderna, principalmente nesse tipo de musica, a composição e o arranjo se misturam, a composição é o arranjo e o arranjo é a composição. Mais dentro dessa concepção, é bastante interessante, no momento que está compondo, já saber qual e onde essa segunda voz vai entrar, nesse momento que estiver compondo, compor e harmonizar já pensando na segunda voz.

Nenhum compositor arranjador vai ser completo sem usar segundas em híbridos.

A ultima descoberta musical relatada em musica, foi em 1903, o Sistema Multe Tônico, que é simetria, aquilo que Hermeto Paschoal, Quincy Jones, Chick Corea Eletric Band, Wayne Shorter, Egberto Gismonti e outros tantos artistas do jazz usam hoje. Muito bem usado, também, por orquestras na primeira metade desse século.

Muitos importantes nomes da música neste século, tentaram revolucionar, mas ninguém descobriu nada de novo em musica. Eles realmente tentaram, como Hermeto Paschoal com o Som da Aura ( fazendo arranjos para as melodias que os seres humanos fazem quando falam ), Pat Metheny com o C.D. Zero Tolerance for Silence (tocando melodias e harmonias afrouxando as cordas ),Chick Corea ( compondo musicas que são só convenções com acordes no meio ). Na primeira metade do século XX, mesmo que seja Técnicas Contemporâneas de Composição (técnicas que tem o intuito não de beleza e sim de fazer as pessoas pensarem ), tentaram escalas não convencionais (não passam de misturas de escalas que já existem ), fugir da tonalidade através de fugas ( soam tão tonal quanto qualquer cromática), melodias dodecafônicas, que busca se desvincular totalmente da tonalidade tocando as 12 notas sem se repetirem ( impossível não haver, de uma nota para outra, uma relação tonal obvia como uma 3a ou uma 5a ) e muitas outras tentativas.

O grau de requinte do trabalho deste músico é incrivelmente grande, tanto em harmonia quanto em melodia, proporcionando uma beleza indescritível.

Depois de tanto ler sobre teoria musical, é provável que alguns pensem que a música de Cado é só para músicos mas, na verdade, seu trabalho atrai pessoas cuja sensibilidade é suficiente para apreciar tal iluminação. Essas pessoas, naturalmente, possuem bom gosto e requinte.

http://go.to/brazilianjazz